Cuidados com a pele no uso de alianças

 

Símbolo de companheirismo, cumplicidade, compromisso e amor, a aliança está presente na vida de muitos casais. Geralmente de aço, ouro e/ou prata, o objeto é usado como uma forma de demonstrar para o mundo a união e a fidelidade dos amantes. Para quem está pensando em aproveitar o Dia dos Namorados para estreitar a relação com um anel de compromisso, é preciso tomar alguns cuidados para que a aliança não se transforme em um problema dermatológico.

A dermatologista do Inderma, Dra. Barbara Uzel, explica que pessoas com alergias de contato a níquel devem prestar atenção redobrada na hora de escolher o anel correto. “Geralmente, essas pessoas apresentam inflamação na pele quando usam bijouterias ou em contato com metais”, alerta. Nestes casos, a dica é apostar somente em peças de ouro puro.

Ligas metálicas como prata e peças folheadas a ouro podem causar alergia em pessoas predispostas. O ideal, de acordo com Dra. Barbara Uzel, é sempre lembrar de tirar a aliança ao lavar as mãos e enxugar bem os dedos. “A umidade entre o anel e a pele pode levar ao aparecimento de intertrigo micótico (fungo)”, completa a dermatologista.

Descamação, vermelhidão, ardência e dor são alguns sintomas comuns em pessoas predispostas a alergias. Para aqueles que já têm dermatoses crônicas nas mãos, como psoríase e dermatite atópica, a indicação é evitar o uso do adorno, especialmente na fase ativa da doença.

Comentários

comentários